Quais os primeiros sinais de Câncer de próstata?

Os dados são alarmantes, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente, cerca de 14 mil brasileiros morrem de câncer de próstata, o segundo tipo mais comum da doença entre os homens ficando atrás apenas do câncer de pele.

Esse tipo de câncer é muito comum nos homens, principalmente, após os 50 anos de idade.

Geralmente, este câncer cresce muito lentamente e, as vezes, sem sintomas na fase inicial, porém, é possível perceber sinais mais comuns como alterações na urina, dor para urinar ou dificuldade para manter a ereção, embora esses também sejam sinais de outros problemas, como hiperplasia benigna da próstata.

Na maioria das vezes, o tratamento de câncer de próstata é feito com cirurgia, radioterapia ou quimioterapia, dependendo do estágio da doença, que se descoberta ainda na fase inicial, tem mais chances de cura.

Justamente, por ser facilmente tratado nas fases iniciais, e ser muito comum em homens acima dos 50 anos, a Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que os homens, a partir dessa idade, façam exames regularmente e, havendo histórico familiar da doença, que os exames sejam feitos a partir dos 45 anos.

Primeiros sinais de câncer de próstata

Infelizmente, os sintomas iniciais, quando existem, são muito semelhantes a qualquer outro problema na próstata. Por isso, é recomendável exames regularmente para poder detectar o mais cedo possível e, assim, ter sucesso no tratamento.

  • Dificuldade para urinar
  • Dor ao ejacular ou urinar
  • Dor na região dos testículos ou perto do ânus
  • Jato de urina muito fraco
  • Vontade frequente de urinar, mesmo à noite
  • Sensação bexiga cheia, mesmo após urinar
  • Gotas de urina na cueca
  • Impotência ou dificuldade para manter uma ereção
  • Presença de sangue no sêmen
  • Vontade repentina de urinar

Mas, atenção, mesmo apresentando qualquer desses sinais, ou todos, não significa que seja câncer, pois outros problemas, como prostatite ou hipertrofia benigna da próstata, também apresentam esses sintomas.

Mas, ao surgirem alguns destes sintomas, é  bom tomar alguma coisa preventivamente como o Prostatricum e também é preciso procurar um urologista para fazer os devidos exames para identificar se é câncer. São exames como toque retal ou o de PSA.

Lembrando que quanto mais cedo identificada a doença, mais chances terá de cura.

Sintomas do câncer de próstata avançado

Porém, em casos mais avançados, com a próstata muito aumentada e o câncer mais desenvolvido, alguns outros sintomas podem aparecer, tais como:

  • Incontinência urinária ou fecal;
  • Fraqueza nas pernas;
  • Insuficiência renal.

No caso do câncer ter se espalhado para outras regiões do corpo, também podem surgir sintomas como dor constante nas costas, nas coxas, nos ombros ou em outros ossos, por exemplo.

Embora em casos mais avançados o tratamento seja mais complexo, ainda assim é importante procurar ajuda e o melhor tratamento.

Enfim, não deixe de prestar atenção aos sinais e, caso surjam, não perca tempo e, o mais rápido possível, procure um urologista, pois quanto mais cedo, maiores as chances de cura, até total, da doença.

Dicas Para Tratar a Depressão

A depressão é uma condição de saúde tão séria que já a Organização Mundial da Saúde (OMS), já a considera o mal do século.

O problema é caracterizado pela diminuição ou pela perda do interesse e do prazer pela vida. Com isso, instala-se a angústia e a prostração e nem sempre isso chega a ter algum motivo evidente.

Atualmente, a OMS considera a depressão como a 4 principal causa de incapacitação, o que mostra como ela é séria mesmo e precisa de atenção.

Esse tipo de transtorno pode acontecer em qualquer idade e com pessoas de qualquer sexo, embora seja mais frequente nas mulheres.

No entanto, o mais importante é sempre lembrar que, para que haja o tratamento adequado, é importante que haja também uma boa avaliação médica.

Isso porque, comumente, esse desanimo e prostração são consequência de desequilíbrios na bioquímica do cérebro, tal como a diminuição da oferta de neurotransmissores como a serotonina, que tem relação direta com a sensação de bem-estar.

Mais do que isso, atualmente já se sabe que a depressão não causa apenas uma sensação de infelicidade profunda e crônica, mas que também promove alterações fisiológicas. Dentre elas, podemos citar o aumento de processos inflamatórios e as baixas no sistema imunológico.

Fatores de risco e como evitar a depressão

Muito mais do que saber como tratar o problema, é interessante saber identificar os fatores de risco e como evitar o problema, veja:

  • Histórico familiar prévio
  • Estresse crônico
  • Transtornos psiquiátricos relacionados
  • Distúrbios hormonais
  • Excesso de peso
  • Vícios como álcool, cigarro e drogas ilícitas
  • Ansiedade crônica
  • Pancadas na cabeça
  • Uso excessivo de internet e redes sociais
  • Sedentarismo
  • Dieta pouco balanceada
  • Problemas cardíacos
  • Separação conjugal
  • Enxaqueca crônica
  • Traumas físicos ou psicológicos

Para evitar esse problema é importante procurar formas de gerenciar o estresse, compartilhando as dificuldades do dia a dia. Mais do que isso, aprender coisas novas, ler, desenvolver hobbies e se divertir também podem ajudar a manter a cabeça ativa e livre do problema.

Como tratar depressão

O tratamento para depressão pode ter a duração de semanas ou até anos, visto que, depois da primeira crise, é grande a chance de que hajam outras.

O tratamento comumente feito com psicólogo, psiquiatra e uso de medicamentos ou até mesmo suplementos naturais como é o caso do captril que é um produto natural para combater a depressão e ansiedade.

Esses medicamentos atuam na química cerebral e, como são variados, o médico é que deverá escolher qual o melhor de acordo com o perfil do paciente.

Mais do que isso, é importante que haja acompanhamento médico, para que seja possível identificar as causas do problema e como lidar com isso para que não continue ocorrendo.

É sempre bom adotar também um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada e a prática regular de atividade física.

Como perder peso de maneira saudável?

Quando tentamos perder peso, cometemos vários erros que não nos permitem alcançar nosso objetivo. E se isso acontecer, é mais provável que recuperemos tudo o que perdemos. Em vez de uma dieta rigorosa por algumas semanas, você deve tentar perder peso de maneira saudável. Desta forma, os efeitos serão duradouros!

Neste artigo, damos algumas dicas básicas para perder peso de maneira saudável .

Como perder peso de maneira saudável?

Quando tentamos perder peso, temos duas alternativas: a “rápida” ou a “razoável”. Com o primeiro, os alimentos e nutrientes são suprimidos e perdemos peso em pouco tempo. Com o segundo, seguimos uma dieta balanceada e consumimos menos calorias, para que a redução seja mais lenta e possamos perder peso de maneira saudável.

Obviamente, preferimos resultados imediatos e é difícil esperarmos. No entanto, isso não é bom para a nossa saúde, porque a perda excessiva de peso causa o que é conhecido como ” efeito rebote “. Na prática, começamos a ganhar peso quando voltamos aos hábitos habituais.

Como perder peso de forma saudável
Para evitar recuperar todos os quilos perdidos, uma vida saudável e uma dieta equilibrada são as principais chaves. Preste atenção às seguintes dicas:

1. Exercício
É uma ótima maneira de queimar calorias e, ao mesmo tempo, reduzir a ansiedade e o estresse. Somente com a dieta não podemos esperar resultados positivos e duradouros. Não é necessário ir à academia todos os dias, basta caminhar meia hora por dia. Ao perder peso, você se sentirá melhor e poderá adicionar mais atividades físicas à sua rotina. Existem milhares de opções disponíveis!

2. Não pros lanches entre as refeições
Lanches a qualquer momento é um “auto-engano” que impede você de atingir o objetivo de perder peso, especialmente se esses lanches incluem alimentos não saudáveis: lanches, doces, gorduras, frituras, etc.

Dica: Cuperine Funciona para diminuir o apetite, assim você terá menos fome entre as refeições.

É importante fazer seis refeições por dia: café da manhã , meio da manhã, almoço, meio da tarde, lanche e jantar. Os da “metade” são leves, mas saudáveis, por exemplo, uma fruta, um iogurte desnatado ou um punhado de nozes. Dessa maneira, você “enganará o estômago” e não chegará com muita fome às refeições principais.

3. Sim para alimentos frescos
Frutas e legumes devem ser seus aliados em seu programa para perder peso de forma saudável. Eles devem estar presentes em todas as suas refeições e em uma boa quantidade. Uma boa técnica para adicioná-los à dieta é dividir o prato ao meio.

Os 50% do pote irá conter legumes frescos ou cozidos no vapor. A outra metade ainda estará dividida. Uma parte terá legumes ou farinha de trigo integral e a outra terá carnes magras (frango e peixe). Siga esta regra e você verá excelentes resultados em menos tempo.

4. Não se esqueça da hidratação
A água é ainda mais importante que a comida. Você sabia que pode passar uma semana sem comida, mas apenas um dia sem beber antes que o corpo sofra? Claro, você conhece os famosos “dois litros de água por dia”. Este é o mínimo que você deve consumir.

Quando está quente e você se exercita, esse valor deve aumentar para três litros. Se você não está acostumado a beber água, pode levar uma garrafa com você, colocar um alarme no seu celular ou fazer o download de um aplicativo que avisa quando é hora de beber água .

5. Consulte um especialista
Para perder peso, não se trata de comer menos ou mesmo comer algo extra. Visitar um especialista pode ser o que precisamos para mudar certos hábitos e “corrigir” onde é necessário. Por exemplo, é possível que você coma muita farinha ou pouca fruta e isso não permita que você perca peso.

Visitar um especialista é essencial, pois também pode dizer quantos quilos a perder e como fazê-lo.

Finalmente, recomendamos que você não fique obcecado com a balança. Perder peso deve ser um processo natural e uma consequência da mudança de hábitos. Os quilos e tamanhos são apenas dados, o importante é se sentir cada vez melhor consigo mesmo.

Dicas Para Prevenir o Câncer de Prostata

O risco de ter certos tipos de câncer pode ser reduzido por uma mudança no estilo de vida. É o caso do câncer de próstata.

O que é câncer de próstata?

A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz. Está sob a bexiga e circunda o canal urinário; é essencial no homem para a produção de esperma e, portanto, para a reprodução. O câncer de próstata é o tipo mais comum de câncer entre os homens no Canadá. Esta é também a 3 ª maior causa de morte por câncer entre os canadenses.

No entanto, em geral, evolui lentamente e muitas vezes pode ser curado ou tratado com sucesso. Quanto mais rápido esse tipo de câncer é detectado, melhor a resposta ao tratamento e as chances de recuperação.

Estou em risco?

Para a maioria dos tipos de câncer, é possível identificar várias coisas que podem predispor uma pessoa a desenvolvê-lo. Eles são chamados de fatores de risco. Alguns fatores de risco foram identificados para o câncer de próstata. Existem dois tipos principais de fatores de risco: aqueles que são modificáveis ​​e aqueles que não são.

Aqui estão alguns exemplos de fatores de risco não modificáveis:

  • sua idade: homens acima de 50 anos correm maior risco de câncer de próstata e homens acima de 65 anos são ainda mais prováveis;
  • seu histórico familiar: seu risco aumenta se seu pai ou um de seus irmãos já teve câncer de próstata;
  • sua origem étnica: seu risco aumenta se você é de origem afro-americana; é reduzido se você é de origem asiática.

Como prevenir o câncer de próstata?

Boas notícias: você pode trabalhar para reduzir seu risco, agindo sobre certos fatores modificáveis. Nesse contexto, pode ser prudente adotar ou modificar o seguinte estilo de vida:

    1. Reduza sua ingestão de gordura. Foi demonstrado que a ingestão de alimentos ricos em gordura, como carnes ou laticínios, pode aumentar o risco de câncer de próstata. A carne vermelha foi destacada, principalmente. Limite a ingestão desses alimentos ou opte por aqueles com um teor de gordura reduzido.
    2. Siga o Guia Alimentar do Canadá. Todo mundo sabe a importância de uma alimentação saudável para a saúde. Basear suas escolhas alimentares no Guia de Alimentos do Canadá ajudará a garantir que suas necessidades nutricionais essenciais, como vitaminas e minerais, sejam atendidas. Consumir muitas frutas, legumes, legumes, nozes, alimentos integrais e peixe pode ser uma estratégia benéfica para prevenir muitas doenças. Além disso, uma dieta saudável e equilibrada ajudará você a manter um peso saudável. Sobrepeso e obesidade também são fatores de risco para câncer de próstata.
    3. Coma mais tomates. Alguns estudos científicos sugerem que o aumento do consumo de alimentos ricos em “licopeno”, um nutriente antioxidante, ajudaria a prevenir o desenvolvimento de câncer de próstata. O tomate é um exemplo de alimento que os contém.
    4. Pare de fumar. Como você provavelmente sabe, fumar aumenta o risco de desenvolver vários tipos de câncer, incluindo câncer de próstata. Além de reduzir seu risco nesse nível, a cessação permanente do tabagismo pode trazer muitos outros benefícios para sua saúde, seu bem-estar e sua qualidade de vida.
    5. Visite seu médico regularmente. A melhor maneira de limitar o impacto do câncer de próstata em sua vida é encontrá-lo rapidamente. Visite o seu médico e converse com ele sobre o risco de câncer de próstata e triagem. A triagem para o câncer de próstata pode ser feita usando dois testes complementares. Primeiro, o médico pode fazer um exame retal digital. Por outro lado, um exame de sangue pode detectar a elevação da SAF, ou seja, o antígeno específico da próstata. Esses dois testes não são realizados para todos os homens, mas são recomendados para alguns, neste caso, homens com pelo menos 50 anos e expectativa de vida de pelo menos 10 anos.
    6. Use o Cura Prost. Curaprost funciona muito bem para prevenir qualquer tipo de doenças na próstata, ele é um suplemento natural recomendado pelos especialistas no assunto.

Certamente, o câncer de próstata representa uma ameaça para a saúde dos homens. Não é reconfortante saber que agora você pode implementar medidas para evitá-lo? Pergunte ao seu médico ou farmacêutico para mais informações.

Tratar artrite reumatoide com homeopatia

A artrite reumatoide é um problema crônico, sistêmico e autoimune, que se caracteriza pela inflamação das articulações.

Segundo pesquisas recentes, cerca de 1% da população mundial sofre com o problema que causa dores e também a limitação dos movimentos.

Somente no brasil a estimativa é que que mais de 2 milhões de pessoas apresentem essa doença.

Mais do que isso, é importante ressaltar que é um grande engano acreditar que esse problema só ocorre com pessoas mais velhas, visto que pode acontecer também com adolescentes, jovens adultos e até crianças.

O que a maioria das pessoas não sabem é que, mesmo não tendo uma cura, a artrite reumatoide é um problema que tem tratamento, umas das melhores formas de trara esse problema é fazendo o uso do flex caps que é um suplemento 100% natural que é responsável por tratar esse problema.

Assim, é possível contornar os sintomas, deter sua evolução e ter muito mais qualidade de vida. Esse tratamento pode ser feito, inclusive, com homeopatias.

Então, vamos entender um pouco mais sobre como tratar artrite reumatoide com homeopatia.

Quais as causas da artrite

A artrite reumatoide, como já foi dito, é uma doença autoimune, ou seja, o sistema imunológico do corpo fica confuso e ataca o próprio organismo.

Ainda não é completamente conhecido o motivo que leva esse problema a acontecer, mas a principal possibilidade é herança genética.

Para quem não sabe, as articulações são as estruturas que ligam os ossos e a cartilagem é o que recobre as extremidades, evitando que os ossos tenham atrito entre si.

Nessa área existem também a membrana sinovial, que é um tecido bem fino responsável pela lubrificação dessas articulações, que evita atritos e dificuldades de movimentos.

Existe homeopatia para artrite reumatoide?

Em um artigo publicado pelo British Journal of Clinical Pharmacology, os pesquisadores reuniram pacientes com essa doença que estavam fazendo tratamento com uso de anti-inflamatórios no tratamento convencional do problema somado à homeopatia.

Esses pacientes foram comparados com outro grupo de pacientes que estava fazendo uso de um tratamento convencional também, mas ao invés de homeopatia, estavam usando uma solução inerte (placebo).

O resultado é que os pacientes fazendo uso das homeopatias apresentou uma melhora significativa na dor, mobilidade articular e força, se comparados com os pacientes que não usaram a homeopatia.

Depois de 1 ano de tratamento com as homeopatias, 42% dos pacientes conseguiu interromper o tratamento terapêutico convencional que vinha usando.

O fato é que cada vez mais estudos mostram que a homeopatia é eficaz e pode oferecer excelentes resultados. Então, procure um médico e boa sorte!